IV Jornadas de Museologia nas Misericórdias

IV Jornadas de Museologia nas Misericórdias

08.05.17

A quarta edição das Jornadas “Museologia nas Misericórdias” decorreu no Auditório Municipal no passado dia 8 de maio. A iniciativa organizada pela União das Misericórdias Portuguesas e Santa Casa da Misericórdia de Albufeira, contou com o apoio do Município de Albufeira.

O evento congregou técnicos e dirigentes de 18 Santas Casas detentoras de equipamentos museológicos ou que estão em processo de concretização dos mesmos.

A sessão de abertura teve a participação de Alexandra Gonçalves, Diretora Regional da Cultura do Algarve; Carlos Eduardo Silva e Sousa, Presidente da Câmara Municipal de Albufeira; Patrícia Seromenho, Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Albufeira; e Manuel de Lemos, Presidente da União das Misericórdias Portuguesas.

Na voz de Carla Almeida, Docente na Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo da Universidade do Algarve, o primeiro painel abordou a temática “Potencialidades do património”. Com moderação de Patrícia Seromenho, o painel contribui para uma reflexão sobre turismo e património numa perspectiva integradora.


Os seguintes painéis contaram com moderação de Carlos Vieira, Presidente da Assembleia Geral da SCMA. Numa apresentação conjunta, Luís Campos, arqueólogo da Câmara Municipal de Albufeira, e Idalina Nobre, Chefe Divisão de Cultura da CMA, apresentaram as caraterísticas de organização e funcionamento do Museu Municipal de Arqueologia de Albufeira, ressaltando a sua função social. A apresentação destacou uma das valências do museu: o património imaterial. Rui Parreira, arqueólogo da Direção Regional da Cultura do Algarve, frisou a importância das parcerias e trabalho em rede na preservação e divulgação do património.

Das Misericórdias de Aljezur, Loulé, Mealhada, Moncarapacho, Montijo, S. Brás d Alportel e Vila do Conde chegaram depoimentos e boas práticas que em muito ajudam a projetar a realidade do nosso panorama patrimonial e cultural. Casos que nos ajudaram a refletir sobre a realidade que temos nas Misericórdias, avaliar os constrangimentos e sobretudo projetar a intervenção futura.

O encerramento ficou sob a responsabilidade de Patrícia Seromenho; Jorge Botelho, Presidente da AMAl; Carlos Andrade, Vice-presidente da UMP, que defendeu que “devemos cuidar das nossas raízes porque cuidar dessa identidade é cuidar do nosso futuro”.

A partilha de visões de um desenvolvimento sustentável e solidário, muito contribuirá, para o estabelecimento de parcerias que venham a potenciar uma oferta cultural estruturada e adequada aos novos desafios sociais, turísticos e económicos.

As Jornadas incluíram uma visita ao centro histórico de Albufeira, com destaque ao Museu de Arte Sacra, Capela da Misericórdia e Museu Municipal de Arqueologia. O evento terminou com a visita à IX Grande Mostra de Vinhos de Portugal, onde através da participação da Marca Misericórdia divulgaram-se os produtos vinícolas de quatro Misericórdias.

Traduzir »
Santa Casa da Misericórdia de Albufeira